Consultório da Mente

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Glosário Psiquiátrico

GLOSSÁRIO  PSIQUIÁTRICO

       Esse vocabulário foi pesquisado e elaborado para que você tire suas dúvidas, e entenda melhor os termos técnicos e algumas expressões usadas  na área de Psiquiatria,Psicanalise, Psicologia e Saúde Mental.

Abulia

Perda da capacidade de ter vontade; falta de estímulo para agir.

Abuso

Tudo que vai além do uso habitual ou sancionado; maus-tratos, ameaças ou lesões infligidos a outrem, de natureza física, psicológica ou moral; uso excessivo de drogas ou substâncias que pode resultar em dano à saúde ou em um aumento de risco a tal dano.

Acatalepsia

Perturbação mental; demência.

Acatisia

Agitação motora; necessidade de movimentar-se.

Acinesia

Imobilidade; perda da função motora; abolição de toda motricidade, inclusive a neuromotricidade.

Aconselhamento genético

Aplicação dos princípios e dados específicos da genética médica à estimativa de riscos de ocorrência ou recorrência de transtornos transmissíveis por herança e o provimento, a famílias e indivíduos, de informação e orientação pertinentes à prevenção, diagnóstico, prognóstico e controle desses transtornos.

Acrofobia

Medo de altura.

Adinamia

Humor deprimido, triste ou desesperado com medo.

Afasia

Distúrbio da função de linguagem resultante da lesão ou doença dos centros cerebrais; perda da fala;perda parcial ou total da capacidade de se expressar através da linguagem ou da capacidade de compreender a comunicação verbal de outra pessoa. As várias  formas de afasia dependem do local da lesão cerebral.

Afasia auditiva

Perda da capacidade de compreender a linguagem falada.

Afasia de condução

Afasia causada por uma lesão do trajeto entre os centros sensitivos e motores da fala.

Afasia mista

Combinação de afasias motora e sensitiva.

Afasia motora

Perda da capacidade de expressar os pensamentos pela fala e pela escrita; a pessoa entende o que foi dito, porém não consegue produzir a seqüência de movimentos necessários para murmurar a palavra.

Afasia repetitiva

Incapacidade para compreender o que alguém está dizendo; com frequência associada com lesão na área do lobo temporal (lesão cerebral).

Afasia sensitiva

Incapacidade de compreender a linguagem falada (afasia auditiva) ou a linguagem escrita (afasia visual).

Afasia visual

Perda da capacidade de compreender a linguagem escrita.

Afasia de Wernicke

Uma incapacidade de compreender a linguagem falada ou escrita e, em especial, para entender ou comunicar-se através de linguagem falada e nomear objetos ou qualidades. A leitura e a escrita estão secundariamente prejudicadas.

Afeto

É o fator dinâmico da emoção, a qualidade dos sentimentos ou emoção em geral.

Afonia

Incapacidade de produzir sons vocais, resultante de um transtorno orgânico ou emocional.

Agitação

Inquietação marcante e atividade motora excessiva, acompanhadas de ansiedade.

Agnosia

Perda da faculdade de reconhecer os estímulos sensoriais (auditivos e sonoros); distúrbio do conhecimento e do reconhecimento, embora se conserve a percepção sensorial.

Agorafobia

Um grupo de fobias bem definido que inclui entre outras: medo de sair de casa, de entrar em lojas, de multidões e lugares públicos, de viajar sozinho em trens, ônibus e aviões. Ataques de pânico são manifestações freqüentes. Sintomas depressivos e obsessivos e fobias sociais estão também presentes como aspectos subsidiários. A esquiva de situações fobígenas demonstram pouca ansiedade, devido à sua capacidade de evitar situações que lhes causam fobias.

Agrafia

Incapacidade de escrever; uma inabilidade para expressar idéias por escrito, que não está relacionada a uma disfunção da capacidade motora, da fala ou da compreensão.

Agromania

Loucura por tendência a solidão.

Alegria patológica

Transtorno da afetividade; o paciente sente-se eufórico, otimista, hiperativo, elevada auto-estima, enérgico.

Alexia

Perda da capacidade de ler; uma inabilidade para reconhecer ou entender palavras, ideogramas, letras (manuscritas ou em letra de forma) ou cores devido a uma incapacidade para reconhecer o significado linguístico de padrões visuais. A alexia se encontra comumente combinada com a agrafia como um sintoma de assimbolia visual.

Alexitimia

Incapacidade de reconhecer ou de verbalizar as próprias emoções.

Alienação

Condição caracterizada pela perda de relacionamento significativos com outros, com sua sociedade ou sua cultura. Este  termo, também usado num sentido  socioeconômico, passou a substituir o antigo conceito de loucura.

Alienação da adolescência

Desenvolvimento de antipatia ou até mesmo hostilidade frente a sua própria sociedade ou cultura, durante a adolescência. A alienação durante a adolescência,  pode resultar em problemas psicossociais,  como por exemplo, abuso de álcool e drogas, delinqüência, depressão, conflitos familiares,  gravidez fora do casamento, abandono escolar, vandalismo e suicídio.

Alterações da consciência

Pode ser chamados de aqueles estados em que se distinguem bem nitidamente da vida psíquica normal , a consciência restringe-se a certos setores mantendo-se a outros inacessível, e só o que corresponde às tendências interiores é que o indivíduo apreende; estados da consciência em que ficam fragmentados.

Alteração de humor

Uma mudança mórbida do afeto que ultrapassa as variações normais, e que leva a vários estados que incluem: depressão, exaltação, ansiedade, irritabilidade e raiva.

Alteração da memória

Alteração da capacidade de fixar fatos recentes algum tempo depois de informado.

Alterações permanentes da personalidade

Um transtorno da personalidade e do comportamento adulto que se desenvolve após stress catastrófico ou excessivamente prolongado, ou após várias doenças psiquiátricas graves num indivíduo sem transtorno de personalidade prévia. Há uma mudança definitiva e permanente no padrão individual de perceber, relacionar-se com ou pensar sobre o meio ambiente e o self.

Alucinação

Perda da faculdade de reconhecer os estímulos sensoriais; o sujeito percebe estímulos ou objetos que na realidade não existem; sensopercepção de qualquer natureza,  que se dá na ausência de estímulos externo apropriado. Em indivíduos normais, podem ocorrer alucinações nos estados de transição vigília-sono (hipnagógicas) e sono-vigília (hipnopômpicas). Enquanto fenômeno mórbido, as alucinações podem ser sintomáticas de patologia orgânica cerebral, de psicoses funcionais e de intoxicação por drogas, com aspectos característicos para cada qual.

Alucinação auditiva

Reações auditivas ilusórias, sem estímulo sensorial adequado, o indivíduo ouve vozes, gritos, zumbidos, passos, ruídos e raramente são de conteúdo amigáveis.

Alucinação do cativeiro

São imagens visuais ou auditivas induzidas pelo isolamento e pelo stress decorrente de situações de ameaça à vida, na ausência de disfunções psiquiátricas graves. Pode ocorrer em indivíduos que sofreram seqüestros, ou estão sendo mantidos em cativeiro isolado.

Alucinação corporal

Alucinação de tato; alterações da sensação do próprio corpo, alucinações dolorosas.

Alucinação hipnagógicas

Falsas percepções que ocorrem quando o paciente está adormecendo, para as quais não há base na realidade, ocorre na fase de transição vigília-sono.

Alucinação hipnopômpicas

Falsas percepções que ocorrem quando o paciente está acordando, para as quais não há base  na realidade, ocorre na fase de transição sono-vigília.

Alucinação ósmica ou gustatória

Reações de odor ou paladar ilusórias, sem estímulo sensorial adequado; o indivíduo sente o cheiro ou o gosto.

Alucinação de odor ou paladar

Reações de odor ou paladar ilusórias, sem estímulo sensorial adequado; o indivíduo sente o cheiro ou o gosto.

Alucinações óticas

Reações óticas ilusórias, sem estímulo sensorial adequado.

Alucinógeno

Substância psicoativa, natural ou sintética, capaz de ocasionar estados alterados de consciência caracterizados por: percepção intensificada, imagens vívidas que podem evoluir para ilusões e alucinações, alterações do humor e vivências de despersonalização/ desrealização.

Ambivalência

Existência simultânea de tendências opostas; duplos sentimentos inconciliáveis.

Amiotrofia

Perda de músculo esquelético de base neurogênica, diferente da perda decorrente de uma doença muscular primária.

Amnésia

Perda  ou perturbação da memória (completa ou parcial, permanente ou temporária), atribuível a causas orgânicas ou psicológicas; incapacidade de recordar de forma total ou parcial; distúrbio da memória que atinge certo tempo limitado, do qual mais nada ou pouca coisa se pode recordar.

Amnésia anterógrada

Tipo de  amnésia que ocorre depois do acontecimento;  perda de memória de duração variável para eventos e experiências subseqüentes a um incidente causal ou a uma lesão cerebral, em geral depois da recuperação da consciência.

Amnésia dissociativa

Tipo de amnésia  geralmente centrada em eventos traumáticos, tais como acidentes, perdas ou lutos inesperados, e é geralmente parcial e seletiva. A manifestação principal é a perda da memória geralmente de eventos recentes importantes, que não é decorrente de transtorno mental orgânico. A amnésia completa e generalizada é rara, e geralmente é parte de uma fuga.

Amnésia pós-ictal

Perda de memória de duração variável que segue convulsões epilépticas, geralmente acompanhada por períodos de obnubilação da consciência ou automatismo.

Amnésia retrógrada

É um tipo de amnésia relacionada com o período antes do acontecimento, lesão cerebral ou incidente casual.

Amnésia lagunar

É uma amnésia que ocorre dentro do acontecimento; a pessoa não se lembra do acontecimento.

Amnéstico

Evento, traumatismo ou substância que causa amnésia.

Anamnese

História de uma doença ou de um paciente.

Anartria

Impossibilidade de articular palavras, não havendo paralisia dos músculos da fonação.

Anedonia

Ausência da capacidade de experimentar prazer, associada freqüentemente com estados esquizofrênicos e depressivos ou incapacidade de sentir prazer ao vivenciar experiências normalmente prazerosas às pessoas.

Angústia patológica

Transtorno da afetividade em que a angústia ou a ansiedade chega a ser incontrolável, seguida de insegurança e temor pelo desconhecido ou indefinido, que mantém a pessoa em permanente estado de alerta.

Anorexia

Recusa da alimentação como conseqüência de um desejo de emagrecer; inapetência.

Anorexia nervosa

Perda de peso deliberada, induzida e mantida pelo paciente, com uma psicopatologia específica na qual um receio de engordar e da flacidez do contorno corporal persistem como uma idéia intrusiva e supervalorizada. Os pacientes impões a si próprios um limite baixo de peso, geralmente resultando em subnutrição de intensidade variável, alterações secundárias endócrinas e metabólicas e perturbações de funções fisiológicas.O transtorno ocorre mais freqüentemente  em meninas adolescentes e  mulheres  jovens.

Anosmia

Perda do sentido do olfato, atribuível tanto à obstrução física como ao dano do mecanismo nervoso associado a este sentido.

Anosognosia

Uma negação da doença baseada numa distorção da imagem corporal.

Ansiedade

Sentimento de apreensão, desconforto e preocupação, habitualmente de origem inconsciente.

Ansiolíticos

Medicamentos que atuam nas tensões e ansiedade.

Antidepressivos

Medicamentos que atuam na depressão endógena.

Antipsicóticos

Medicamentos que atuam nos sintomas psicóticos.

Apatia

Falta de sentimentos; indiferença.

Apnéia

Parada da respiração.

Apraxia

Incapacidade de levar a cabo um gesto ou ação previamente aprendidos; distúrbio da motilidade que consiste no fato de que plenamente intactos os processos orgânicos funcionando corretamente de um lado, ataxia e os mecanismos motores que vão do córtex à periferia não pode o indivíduo por outro lado, fazer o movimento adequado à intenção objetiva normal; a pessoa pensa em fazer um movimento, mas não consegue executá-lo corretamente.

Área de Broca

Área cortical responsável pela integração das miríades de vias de associação  necessárias à compreensão e à formulação da linguagem,  mede pouco mais de 3 cm3. A área de Broca está tão próxima da área motora que um distúrbio nessa área afeta área da fala. 

Astenia

Perda das forças.

Ataque

Um acesso súbito de anormalidade transitória de natureza motora, sensorial, autonômica ou psicológica, com uma disfunção cerebral temporária.

Ataque de perda do fôlego

Um padrão de comportamento relativamente comum em crianças jovens, caracterizado por períodos de suspensão voluntária da respiração os quais podem levar a cianose e perda de consciência. A condição é autolimitada e pode ser usada para manipular o ambiente.

Ataxia

Falta de coordenação muscular motora; comprometimento da coordenação dos movimentos.

Atraso mental

O funcionamento intelectual é geralmente muito abaixo da média, que aparece juntamente com déficit de adaptação, e que se manifesta durante o período de crescimento.

Aumento da impulsão

Aumento da atividade não dirigida ou da iniciativa dirigida.

Autismo

Isolamento num mundo de fantasias, próprio e artificial, a pessoa não se interessa e não tem necessidade de nada.

Autismo infantil

Transtorno desintegrativo do desenvolvimento definido pela presença de desenvolvimentos anormal ou prejudicado, que se manifesta antes da idade de três anos e pela tríade característica de:  funcionamento anormal na interação  social, comunicação anormal e comportamento restrito, estereotipado e repetitivo.

Automatismo

Atividade motora sem controle consciente, automática e sem direção; ato que não está sob o controle da vontade.

Automatismos de ordem

As ordens são automaticamente obedecidas.

Baforada  delirante (Bouffée Délirante)

Condição psicótica aguda e transitória associada com turvação da consciência, excitação psicomotora e comportamento agitado, seguida de amnésia anterógrada.

Belle indifférence

Ausência aparente de preocupação em relação a sintomas incapacitantes, proeminentes nos transtornos dissociativos.

Bloqueio

Cessação súbita do fluxo de pensamentos e fala, relacionado a emoções fortes.

Bloqueio afetivo

Estado de ânimo imutável por longo tempo.

Bradicinesia

Lentidão dos movimentos; dificuldade para iniciar e realizar os movimentos.

Bradipnéia

Respiração lenta.

Bruxismo

Movimentos dos maxilares produzindo fricção entre as arcadas dentárias, associados quase sempre à fase 2 do sono.

Bulimia

É a compulsão para ingerir alimentos de maneira incontrolável, pode ser associadas com transtornos metabólicos, cerebrais ou funcionais. Sinonímia: hiperfagia, megafagia.

Catalepsia

Síndrome nervosa onde ocorre a supressão total dos movimentos voluntários; o indivíduo fica pálido, frio e estático; atitude de imobilidade cérea mantida pela pessoa (o sujeito fica parecido com uma figura de cera imóvel); um estado semelhante a um transe, com perda da motilidade voluntária.

Cataplegia

Perda temporária do tônus muscular, precipitada por emoções fortes.

Cataplexia

Diminuição abrupta do tônus muscular, que pode ser parcial (envolvendo músculos circunscritos) ou generalizada (o paciente desaba abruptamente, incapaz de mover-se ou falar). A consciência permanece intacta.

Catarse

Purgação psicológica (Freud); processo de descarga ou liberação de tensão emocional associada a um conflito, memória ou idéia reprimidas e freqüentemente desencadeada pela recordação de uma experiência dolorosa.

Choque

É a supressão da função, sem destruição e sem conseqüências de lesões de toda ordem sofrida pelo sistema nervoso, passado algum tempo, a capacidade funcional das partes que o choque afetou reaparece por si mesma.

Claustrofobia

Medo de lugares fechados, geralmente encontrado em pacientes com neurose de angústia.

Cleptomania

Mania de roubar; compulsão para o roubo de objetos que não tem uso próprio; doença mental que leva o indivíduo a roubar; insucesso repetido em resistir a impulsos de furtar objetos que não são adquiridos para uso pessoal ou para ganho pecuniário, ao invés disso os objetos poderão ser descartados, doados ou colecionados. O comportamento geralmente é acompanhado por uma sensação de tensão crescente antes do ato, e uma sensação de satisfação durante e imediatamente depois do ato.

Clônicos

Os músculos contraem e relaxam alternadamente.

Coma

Estado de perda completa da consciência, da sensibilidade e da mobilidade. O estado de coma é classicamente definido como a síndrome de perda completa ou parcial da consciência, da motricidade voluntária e da sensibilidade, com preservação das funções vegetativas. A perda da consciência constitui o elemento básico para a conceituação do estado de coma, podendo os distúrbios de motricidade e de sensibilidade decorrerem exclusivamente dessa alteração funcional. A intensidade do comprometimento da consciência é variável, desde a obnubilação até o coma, passando ou não pelo estado de torpor.

Complexo de castração

Medo exagerado de ser ameaçado com a castração ou privação dos órgãos sexuais, acompanhado de ansiedade doentia em relação à atividade sexual.

Complexo de Édipo

Fixação inconsciente e obsessiva de um filho pela mãe geralmente acompanhado de ciúme pelo pai, podendo resultar em sentimentos de culpa e conflitos emocionais que podem levar a um problema psíquico;  termo usado para descrever a ligação emocional entre uma criança do sexo masculino e sua mãe e os sentimentos ambivalentes dirigidos ao pai. O menino teme a retaliação e possível perda do pênis (medo da castração) e tem desejos de matar o pai.

Complexo de Electra

Termo usado para descrever os desejos de uma menina pelo pênis de seu pai e esperanças de tomar o lugar da mãe, a quem ela culpa por não possuir um pênis.

Comportamento infantil

Modo de se conduzir igual ao da infância, como linguagem infantil, urinar ou evacuar na roupa ou fralda.

Compulsão

O indivíduo sente uma necessidade intensa de praticar o ato. A compulsão é o equivalente motor e comportamental da obsessão.

Condensação

O processo de reduzir várias idéias a um símbolo.

Confusão

Perda de controle voluntário sobre as faculdades intelectuais; o sujeito não recorda o que percebe e é incapaz desintegrar no pensamento; perde a clareza das idéias.

Confusão mental

Estado de turvação de consciência associado a doença cerebral orgânica aguda ou crônica.

Convulsão

É a contração muscular involuntária, ou uma série de contrações, resultante de um estímulo cerebral anormal.

Convulsões dissociativas

Transtorno convulsivo dissociativo que pode simular exatamente um ataque epiléptico em termos de movimentos, mas no qual são raros os sintomas de mordedura de língua, ferimentos por queda e de incontinência urinária.

Coprolalia

É a compulsão em proferir palavras obscenas.

Copropraxia

Gestos obscenos e uma forma de ecopraxia que ocorrem no transtorno de tiques vocais e motores múltiplos.

Coréia

Movimentos involuntários, sem propósito, em contração e rápidos dos membros ou músculos faciais, incluindo a careta facial.

Craniectomia

É a ressecção de uma porção do crânio.

Cranioplastia

É a correção de um defeito craniano.

Craniotomia

É a abertura cirúrgica do crânio para remover um tumor, aliviar a pressão intracraniana, retirar um coágulo sanguíneo ou parar uma hemorragia.

Decomposição de palavras

Só são faladas palavras ou expressões.

Defeito

Deterioração irreversível de qualquer função psicológica particular do desenvolvimento geral das capacidades mentais, ou dos padrões característicos do pensamento, afeto e comportamento que constituem a personalidade do indivíduo. Um defeito em qualquer uma destas áreas pode ser inato ou adquirido.

Deficiência

No contexto psiquiátrico é qualquer perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica.

Deficiência mental

Retardamento mental, refere-se ao desenvolvimento mental inadequado, congênito ou manifesto nos primeiros anos da infância. Implica na dificuldade de compreensão e aprendizagem, e ocorre em vários graus. O funcionamento intelectual e a adaptação social podem mudar no decorrer do tempo, e podem melhorar em função da maturação e da resposta ao tratamento, à reabilitação e ao treinamento.

Delírio

Sensação de pavor, do mutável, sem que as alterações possam ser descritas; coisas corriqueiras recebem um significado especial; a mente produz idéias de conteúdo falso sem apoio a realidade e incapaz de ser modificada; uma crença falsa mantida apesar das evidências contrárias.

Delírio de ciúme

Convicção delirante de que o seu par partner”está abandonando-o ou traindo-o.

Delírio de dermatozoários

Pequenos animais, como mosquitos, ratos, baratas são sentidas sobre a pele.

Delírio de grandeza

Supraestimação própria delirante que pode ir até a própria superação; crença mórbida na própria importância, grandiosidade ou superioridade, freqüentemente acompanhada por outras idéias delirantes.

Delírio de influência

Convicção delirante que algo de si está sendo substituído ou está sendo submetido à influência e controle de alguma força estranha.

Delírio hipocondríaco

Convicção delirante de que está gravemente enfermo e que poderá evoluir para a morte.

Delírio de perseguição

Crença patológica de vitimização de um ou mais indivíduos ou grupos. Ocorre nos transtornos paranóides, mais comumente na esquizofrenia, mas também em alguns estados orgânicos ou depressivos.

Delírio polimórfico

Quadro composto por delírios com numerosos  conteúdos inconsistentes e contraditórios. Caracteriza-se pela inconstância dos temas e mudança de forma em breves unidades de tempo.

Delírio sensitivo de auto-referência

Forma específica de psicose paranóide não esquizofrênica com idéias  mórbidas de auto-referência, surgindo da base de uma estrutura de personalidade introvertida sensitiva, com uma capacidade pobre de desenvolver a liberação de afeto e tensão.

Delirium

Síndrome orgânica cerebral aguda, de etiologia inespecífica, caracterizada por perturbações da consciência, atenção, percepção, orientação, pensamento, memória, comportamento psicomotor, emoções e ciclo sono-vigília. O estado de delirium é transitório e de intensidade flutuante. Sinonímia: Estado confusional orgânico agudo.

Delirium tremens

Síndrome de abstinência com delirium; um estado psicótico agudo que ocorre durante a fase de abstinência em indivíduos dependentes de álcool e caracterizado por confusão, desorientação, ideação paranóide, delírios, ilusões, alucinações (tipicamente visuais ou táteis, menos comumente auditivas, olfatórias ou vestibulares), inquietação, distração, tremores (algumas vezes grosseiros), sudorese, taquicardia e hipertensão. É usualmente precedida por sinais de síndrome de abstinência simples. O início do delírium tremens ocorre usualmente 48h ou mais após a retirada ou a redução do consumo de álcool, mas pode apresentar-se até 1 semana após este período.

Demência

Perda irreversível das funções psíquicas; perda da condição de integração social por dificuldades relacionadas às funções cerebrais tais como a memória, a crítica e o julgamento, influenciando também nas funções físicas.

Demência vascular

Demência resultante de infarto cerebral devido à doença vascular, inclusive a doença hipertensiva vascular cerebral.  A demência pode suceder-se a crises isquêmicas passageiras, a uma sucessão de acidentes vasculares cerebrais agudos ou, menos comumente, a um único e grave ataque apoplético.

Depressão

É um contínuo sentimento de tristeza acompanhado muitas vezes do sentimento de inferioridade; o indivíduo fica apático, perde o interesse pelas coisas em geral, quer ficar sozinho, não tem vontade de fazer nada, nem de ir para lugar algum; é uma estado patológico em que se produz uma diminuição geral de toda a atividade psíquica; sentimento caracterizado pela sensação de tristeza, rejeição e pessimismo.

Depressão puerperal ou Depressão pós-parto

Perturbação afetiva, usualmente transitória, que se segue a um parto, e que tem início no período puerperal (aproximadamente até 45 dias após o parto). As características clínicas variam de um breve rebaixamento do humor até uma depressão grave com ansiedade e apreensão, sentimentos de indiferença ou hostilidade para com o bebê e o pai deste, e também alterações do sono.

Desagregação do pensamento

Dificuldade para desenvolver o pensamento; discurso constituído de frases corretas, mas sem compreensão; perda da coerência lógica do pensamento ex: o indivíduo começa um assunto, depois entra no meio do assunto com outro totalmente diferente.

Desagregado

Pensamento e expressão com perda parcial da relação de sentido.

Desconhecimentos ilusórios

Percepções reais não são reconhecidas ou corretamente avaliadas.

Desinibição

Deficiência de autocontrole ao falar ou gesticular, caracterizável como conduta inadequada;  estado de liberação das funções inibitórias em geral exercidas pelo córtex cerebral. A desibinição pode resultar tanto de lesões orgânicas cerebrais como da administração de uma droga psicótica..

Desintoxicação

Processo pelo qual um indivíduo é afastado dos efeitos de uma substância psicoativa.

Desmaio

Perda súbita da consciência com uma sensação prévia de desfalecimento; um sentimento desagradável antes da inconsciência.

Desorientação

Obscurecimento das esferas temporal, topográfica ou pessoal da consciência, associado a várias formas de síndromes cerebrais orgânicas ou, menos comumente, com síndromes dissociativas.

Desorientação orgânica

Dificuldade ou impossibilidade de se situar corretamente quanto à data, local e hora.

Despersonalização

Sentimento de estranheza e de irrealidade de uma pessoa em relação a si mesma e ao que a rodeia; o sujeito não reconhece a sua própria identidade; estado de perturbação da consciência no qual a pessoa percebe a si mesma como irreal, distante ou artificial.

Desrealização

Experiência subjetiva de alienação semelhante à despersonalização, mas que envolve o mundo externo ao invés das experiências próprias do indivíduo e sua personalidade.

Desvio

Em geral, forma de comportamento que se afasta significativamente daquilo que é considerado como normal em uma dada cultura.

Deterioração esquizofrênica

Redução da capacidade cognitiva adaptativa, da resposta volitiva e afetiva, da motivação e das habilidades sociais, que ocorrem em uma parte das doenças esquizofrênicas, após o início da doença, por períodos variáveis. Este processo normalmente resulta em um defeito ou em um estado terminal, mas nem sempre é irreversível.

Diplopia

Visão dupla ou consciência de duas imagens do mesmo objeto ocorrendo em um ou ambos os olhos.

Dipsomania

É o hábito de ingerir bebidas alcoólicas; forma de uso excessivo de álcool caracterizado por uso episódico, porém descontrolado.

Disartria

Dificuldade de articulação das palavras; dificuldade de dicção ou pronúncia; transtorno da articulação da fala que interessa o componente motor da expressão verbal, que pode ser causado por lesões dos neurônios motores superiores ou inferiores, das vias extrapiramidais ou cerebelares ou dos músculos da fala.

Discauculia

Dificuldade de fazer cálculos matemáticos.

Discinésia

Termo geral que cobre várias formas de movimentos anormais que incluem tremor, tique, balismo, torção espasmódica, atetose, distonia e mioclono; aumento dos movimentos involuntários.

Discinesia tardia

Síndrome neurológica que em geral aparece após um longo período de tratamento com neurolépticos, e que se manifesta por movimentos involuntários anormais, lentos e irregulares da língua, lábios, boca e tronco, e também por movimentos coreoatetóides das extremidades.

Discrasia

Estado anormal.

Disfagia

Dificuldade em deglutir ou engolir.

Disfasia

Déficit ou perda da fala; distúrbio da fala; forma parcial ou incompleta de afasia.

Disfemia

São as alterações do ritmo da fala, também conhecida popularmente como gagueira.

Disfonia

São as alterações da qualidade sonora da voz. Há uma alteração do timbre vocal, e na maioria dos casos, a voz se apresenta rouca.

Disforia

Desânimo exageradamente elevado, descontentamento exagerado.

Disglossia

Designa as dificuldades da pronúncia causadas por alterações na estrutura anatômica dos órgãos articuladores. São as alterações  encontradas nos casos de lábio leporino e fenda palatina.

Dislalia

Termo impreciso para a má articulação dos sons da fala que resulta num discurso anormal, por comparação ao de outras pessoas da mesma cultura ou da mesma faixa etária.

Dislexia

É uma dificuldade no aprendizado da escrita e da leitura acompanhada de alterações psicomotoras, de desorganização espacial e temporal e de dificuldades na pronúncia dos sons sonoros (B-D-G-J-V-Z), substituindo-os pelos respectivos surdos (P-T-Q-X-F-S).

Dismnésia

Perturbação de memória; a expressão síndrome dismnésica é empregada algumas vezes como sinônimo da síndrome de Korsakov não alcoólica.

Disnomia

Dificuldade na seleção apropriada  das palavras, particularmente de nomes.

Dispraxia

Forma parcial ou incompleta de apraxia.

Dissociação

Alteração temporária da consciência não devido à doença mental orgânica. Suas manifestações clínicas podem incluir conversão, fuga, desorientação, amnésia e pseudoconvulsões.

Distimia

Transtorno caracterizado por uma depressão crônica do humor, que dura pelo menos vários anos, e que não é suficientemente grave nem tem episódios de duração suficiente para caracterizar um transtorno depressivo recorrente.

Distonia

Distúrbios do tônus muscular; contrações musculares sustentadas causando freqüentemente contorções e movimentos repetitivos ou posturas anormais.

Distorção

Alteração de fatos, percepções, idéias ou impulsos de forma que eles não correspondem às interpretações ou percepções comumente aceitas. A distorção pode ser consciente ou inconsciente, ou pode ser uma combinação de ambas. Geralmente a distorção não implica nem um erro interpretativo psicótico nem uma percepção delirante.

Distúrbios esquizofrênico do raciocínio

Interrupções do pensamento; espaços vazios no pensamento; respostas sem sentido; bloqueio do pensamento; excesso de raciocínio na memória.

Doença maníaco-depressiva

Termo empregado por primeira vez por Kreapelin (1856-1926) na sexta edição do seu livro (1899) para descrever o conceito nosológico que integra os conceitos prévios de doença cíclica, mania periódica e melancolia periódica.

Eco do pensamento

Experiência de que os próprios pensamentos são repetidos dentro da cabeça da pessoa. O intervalo que decorre entre o pensamento original e o seu eco é usualmente de uns poucos segundos. O pensamento repetido, embora idêntico no seu conteúdo, pode ser sentido como ligeiramente alterado em termos de qualidade.

Ecolalia

Repetição mecânica de termos que acabam de serem ouvidos; é involuntário e sem sentido; ou a repetição da fala de outra pessoa.

Ecopraxia gestual

Também chamada de ecocinese ou  ecomimia.  Imitação patológica de movimentos ou gestos de outros. Usualmente é de natureza semi-automática, não estando sujeita a um controle voluntário total;  é a repetição de movimentos e gestos vistos em outra pessoa.

Egodistônico

Refere-se a qualquer coisa que o indivíduo não aceita como parte de si ou a impulsos, desejos, pensamentos, sentimentos e emoções próprios que são tidos como repugnantes ou rejeitados por ele.

Elação

Um alto grau de confiança, histórias exageradas, otimismo sem crítica e alegria, acompanhados de atividade motora aumentada.

Eletrochoque

Método terapêutico em que se provocam convulsões por meio de corrente elétrica, ainda é usado no tratamento de certas doenças mentais.

Eletroencefalograma EEG

exame que registra o gráfico das diferenças de potencial entre duas regiões do couro cabeludo, ou entre uma região e um eletrodo indiferente.

Embotamento

Perda da capacidade afetiva.

Emergência psiquiátrica

É um distúrbio súbito e grave do comportamento, do sentimento, ou do pensamento que torna o paciente incapaz de dirigir sua vida e controlar suas relações com outras pessoas.

Epífora

Fluxo abundante de lágrimas.

Escotoma

Um defeito na visão em uma área específica de um ou ambos os olhos.

Espasticidade

Enrijecimento dos membros.  Hipertonicidade muscular com resistência aumentada para estirar, freqüentemente associada a fraqueza, reflexos tendinosos profundos exacerbados e reflexos superficiais diminuídos.

Espondilose

Artrite degenerativa ou osteoartrite das vértebras cervicais ou lombares que resulta em rigidez da articulação vertebral.

Esquizofrenia

Dissociação  absoluta do indivíduo diante da realidade física, não designa exatamente uma personalidade dualista; transtorno caracterizado em geral por distorções fundamentais e características do pensamento e da percepção e por afeto inadequado ou embotado. A consciência clara e a capacidade intelectual estão usualmente mantidas, embora certos déficits cognitivos possam surgir no curso de tempo. A perturbação envolve as funções mais básicas que dão à pessoa normal um senso de individualidade. Os fenômenos  psicopatológicos mais importantes incluem eco do pensamento, inserção ou roubo do pensamento, difusão do pensamento, percepção delirante e delírio de controle, influência ou passividade, vozes alucinatórias comentando ou discutindo com o paciente na terceira pessoa, alterações do curso do pensamento, catatonia ou sintomas negativos.

Esquizofrenia catatônica

Manifesta-se com uma ruptura completa da mente do indivíduo com a realidade do cotidiano; transtorno esquizofrênico dominado por proeminentes perturbações psicomotoras que podem alternar-se entre extremos de hipercinesia e estupor ou obediência automática e negativismo. Atitudes e posturas forçadas podem ser mantidas por longos períodos.

Esquizofrenia paranóica

Caracteriza-se por um delírio, geralmente de perseguição ou grandeza. O indivíduo tem normalmente uma inteligência brilhante e coerente e só manifesta sua doença nas zonas de comportamento diretamente afetadas por seu delírio.

Esquizofrenia paranóide 

Transtorno esquizofrênico dominado  por delírios paranóides relativamente estáveis usualmente acompanhados por alucinações, particularmente da variedade auditiva, e outras alterações da sensopercepção.

Estado crepuscular

Estado de consciência perturbado, no qual um comportamento complexo e irracional pode ocorrer sem nenhuma recordação posterior. Os estados crepusculares podem ocorrer associados com despertar do sono, epilepsia, intoxicação alcoólica e delirium.

Estado oniróide

Estado no qual surgem fenômenos de despersonalização / desrealização contra um fundo de leve turvação da consciência.

Estereotipia

Realização sempre dos mesmos movimentos; atividade motora ou fala repetitiva persistente.

Estupor

Inibição motora em que o contato com o meio ambiente é apenas parcial ou mesmo ausente; o indivíduo fica imóvel e totalmente calado; do ponto de vista neurológico considera-se um estado prévio do coma, podendo ter uma origem psíquica ou orgânica.

Estupor dissociativo

Profunda diminuição ou  ausência de movimentos voluntários e da capacidade de resposta aos estímulos externos, tais como luz, ruído ou toques na ausência de quaisquer indícios de uma causa física. Além disso, há evidência positivas de uma etiologia psicogênica, sob a forma de eventos ou problemas estressantes recentes.

Euforia

Ânimo exageradamente elevado e contentamento exagerado; é um estado mental caracterizado por sentimento de bem-estar e otimismo; sentimento excessivo de bem-estar físico e emocional inadequado aos estímulos reais do ambiente.

Exaltação

Estado afetivo de alegria, o qual quando intensificado e sem conexão com as circunstâncias, é um sintoma dominante da mania e da hipomania.

Exibicionismo

Transtorno da preferência sexual (parafilia) consistindo numa tendência recorrente ou persistente a expor a genitália a estranhos (usualmento do sexo oposto) ou a pessoas em lugares públicos, sem convite ou pretensão de contato mais íntimo. Há em geral, mas não invariavelmente, excitação sexual quando da exposição e o ato comumente seguido de masturbação.

Extâse

Sentimento irresistível de alegria e arrebatamento.

Exultação

Uma reação afetiva que ultrapassa  a elação, e é acompanhada por sentimento de grandeza.

Fabulação

Transtorno de memória que ocorre sem alteração de consciência, caracterizado por falsos relatos de eventos passados ou experiências pessoais com tendência a grandiosidade. As memórias falseadas são usualmente esquecidas e precisam ser evocadas.

Facies

Semblante; expressão do rosto.

Fadiga

Corresponde ao enfraquecimento da função por uma ação prolongada que afeta o sistema nervoso.

Fetichismo

Transtorno da preferência sexual consistindo na dependência de alguns objetos inanimados como um estímulo para excitação e satisfação sexuais; O indivíduo sente prazer sexual ou se excita pegando ou vendo peças íntimas, objetos e partes do corpo de outra pessoa.

Fixação de idéia

Pensamento fixo, as idéias de tornam repetidas, outras idéias são inteiramente afastadas

Fobias

Medo excessivo; aversão mórbida e infundada.

Folie à Deux

Idéias delirantes partilhadas por pessoas com relacionamento próximo; a pessoa dominante freqüentemente manifesta o delírio em primeiro lugar, enquanto que a pessoa dependente o manifesta posteriormente.

Fonofobia

Aversão ao barulho.

Fuga de idéias

Evolução de idéias, mas que se desviam freqüentemente da idéia básica; o indivíduo interrompe a todo o instante sem motivo aparente a marcha do pensamento, começando a dizer ou fazer alguma coisa, depois fala outra coisa ou faz algo diferente, sem fixar-se num objetivo, sempre ocupados com uma quantidade grande de idéias; não consegue terminar o que fazia ou dizia do pensamento inicial; conversação rápida com desvio de tópicos sem conexão lógica.

Fúria

Raiva incontrolável.

Geriatria

Estudo das doenças da velhice.

Glossolalia

Linguagem incoerente na qual se utilizam formas sintáticas anormais e palavras inventadas.

Hemianopia homônima

Visão defeituosa em metade do campo visual.

Hemiparesia

Diminuição da força muscular em um dimídio corporal; paralisia muscular unilateral, completa ou parcial, associada à lesão cerebral contralateral.

Hemiplegia

Paralisia de um dimídio corporal; paralisia de um lado do corpo.

Hiperacusia

Audição sensível Em algumas síndromes e transtorno a hiperacusia pode causar irritabilidade no paciente, e em alguns casos particulares, também pode desencadear uma agressividade.

Hipercinesia

Movimentos excessivos, destrutivos ou atividade de ataque.

Hiperfagia psicogênica

O comer excessivo como uma reação a eventos estressantes tais como luto, acidentes, parto, que pode ser associado a outras perturbações psicológicas.

Hipersonia não orgânica

Transtorno não orgânico do sono que consiste em sonolência diurna excessiva e ataques de sono (não justificáveis por uma quantidade inadequada de sono) ou em um período prolongado de transição entre o sono e a vigília completa, após o despertar. Em  contraste com a hipersonia orgânica, esta condição está habitualmente associada a certos transtornos mentais.

Hipervigilância

Estado de alerta excessivo que se manifesta através de um perscrutar constante do ambiente para a detecção de sinais de perigo. É observada mais freqüentemente em indivíduos com uma estrutura paranóide de personalidade, em reações protraídas ao stress, em crianças que  estiveram sujeitas a abusos ou negligência parental e em algumas formas de utilização de substâncias psicoativas.

Hipnose

Estado de transe, superficialmente semelhante ao sono,  induzido por sugestões de relaxamento e atenção concentrada num único objeto, durante o qual o indivíduo se torna sugestionável e reativo à influência do hipnotizador e pode recordar acontecimentos esquecidos e obter alívio de sintomas psicológicos.

Hipocondria

Preocupação mórbida com a saúde e sentimento de doença sem qualquer fundamento médico real.

Hipoestesia

Diminuição da sensibilidade.

Hipomania

Transtorno caracterizado por uma elevação leve, porém persistente do humor, aumento da vitalidade e da atividade e, habitualmente uma notável sensação de bem-estar e de eficiência física e mental. Os transtornos do humor e do comportamento não se fazem acompanhar nem por delírios nem por alucinações.

Hipomimia

Expressão facial sem emoção.

Histeria

Estado psíquico de extremo distúrbio e emotividade.

Histeria de conversão

Distúrbio mental em que um problema emocional é convertido em doença física.

Id

A parte inconsciente da personalidade humana.

Idéias delirantes

São representações falsas que surgem de tendências internas delirantes.

Idiotia

Termo psiquiátrico que define a forma mais pronunciada de deficiência mental, QI abaixo de 25 e a idade mental nunca passa de 2 anos.

Ilusão

Percepção real alterada; interpretação errônea de um estímulo real, existente, externo por qualquer um dos sentidos.

Ilusão cenestésicas

Distorções de sensações corporais, experimentadas como queimor, sussurros, sensações semelhantes a borboletas em movimento, bola subindo à garganta, choque elétricos irradiando por todo o corpo (sinal de Lhermitte). As ilusões somatossensoriais são freqüentes numa variedade de transtornos neurológicos e psiquiátricos.

Imbecibilidade

Termo psiquiátrico que define a deficiência mental que fica imediatamente acima da idiotia, QI entre 25 e 50 e a idade mental entre 2 e 7 anos

Impulsividade

Explosões de atividades que são imprevisíveis e súbitas.

Inatenção

Alteração da atenção; dificuldade para concentrar a atenção.

Incapacidade

No contexto psiquiátrico, a incapacidade designa um certo grau de disfunção ou inadequação no desempenho de quaisquer papéis sociais ou funções específicos normalmente esperados de acordo com a posição, sexo,e idade de um indivíduo.

Incoerência

Episódios de raciocínio que não se relacionam inteiramente.

Incontinência afetiva

Estados de ânimo que se alteram anormal e rapidamente, nos quais as expressões sentimentais como riso e choro não podem ser controlados ou dirigidos.

Inibição do pensamento

Pensamento é lento acompanhado de verbalização em um tom baixo; não inicia ocupação alguma, custa a proferir uma palavra ou frase, pensa com grande esforço quando tem que responder a uma pergunta e nada lhe ocorre.

Insanidade

Termo genérico que designa incapacidade mental e social de um indivíduo.

Insônia não orgânica

Qualidade e/ ou quantidade insatisfatórias do sono que persistem por um período considerável de tempo. Inclui dificuldade em conciliar o sono, dificuldade em manter o sono e despertar precoce.

Integração

Em ciências sociais, uma forma de aculturação na qual um indivíduo é capaz de manter a própria identidade cultural concomitante à manutenção de relações positivas e produtivas com uma cultura adjacente ou dominante. Em psiquiatria psicodinâmica, o termo se refere à internalização de uma nova imagem, papel ou persona articulados com outros elementos da própria personalidade ou história de vida.

Irritabilidade

Sentimento caracterizado por impaciência, aborrecimento e ira.

Labilidade afetiva

Transtorno da afetividade em que o estado de ânimo se altera rapidamente, nos quais as expressões sentimentais como riso e choro não podem ser controlados ou dirigidos, sendo que essas mudanças não têm relação com estímulos externos; é uma das características de estados demenciais.

Lambadacismo

Transtorno da fala que consiste na repetição freqüente da letra L, ou sua substituição pelo R.

Letargia

Sonolência.

Libido

Na teoria psicanalítica, uma forma de energia sexual com que são investidos os processos, impulsos e representações mentais dos objetos.

Lipotimia

Perda transitória dos sentidos; desmaio.

Logoclonias

Repetição múltipla do início das palavras.

Logorréia

Excesso de fala; fala incessantemente ou muito baixo, ou como se fosse um murmúrio, fala muito alto quase gritando, ou fala para si mesmo; produção verbal anormal intensa e acelerada, freqüentemente associada à fuga de idéias e distraibilidade.

Mania

Transtorno no qual o humor está exaltado em discordância com as circunstâncias em que o indivíduo se encontra e que pode variar desde uma jovialidade despreocupada até uma excitação quase incontrolável. A exaltação é acompanhada de aumento da energia que resulta em hiperatividade, verborréia e diminuição das necessidades do sono.

Manierismos

Esquisitices.

Melancolia

Termo popular que designa depressão.

Melancolia involutiva

É uma forma de depressão que ocorre em idades avançadas

Mentiras patológicas

Estórias do passado oriundas de fantasias terminam sendo criadas por seus inventores.

Mixoscopia

Forma de desvio sexual relacionada ao ato  de observar outros enquanto estes estão tomando banho, lavando-se, despindo-se ou vestindo-se. Sinonímia: Voyeurismo.

Movimentos coreiformes

Movimentos involuntários parecidos as seqüências aleatórias ou desordenadas de fragmentos de movimentos propositais, que afetam tipicamente as extremidades superiores e inferiores e a face: os punhos se sacodem, os pododáctilos se contorcem, a língua se projeta, os lábios são contraídos ou contorcidos em um sorriso bizarro. Estes movimentos interferem com os movimentos voluntários, mas usualmente desaparecem durante o sono.

Mutismo

Ausência da fala com preservação dos órgãos da fonação; renúncia em falar; o sujeito não se expressa verbalmente; silêncio deliberado; nenhuma expressão de palavras ou incomunicabilidade em um período de tempo.

Narcolepsia

Consiste numa excessiva sonolência diurna; alterações do sono REM; transtorno paroxísmico, de base hereditária, caracterizado por uma tendência súbita e irresistível a dormir, geralmente por períodos curtos.

Narcisismo

Auto-estima e o amor a si próprio.

Narcose

É um entorpecimento provocado por drogas; estado patológico por efeito de drogas para sedação; sono estuporoso produzido por drogas.

Necrofilia

É o prazer sexual com cadáveres ou pessoas recém-mortas.

Negação

Recusa em admitir ou ser capaz de conhecer uma verdade aparente. Em alguns casos de alterações cerebrais, pode existir anosognosia, caracterizada pela falta de consciência dos sintomas e incapacitação. Na teoria psicanalítica, a negação exterioriza um mecanismo psicológico de defesa pelo qual se nega uma dolorosa experiência ou  um aspecto do self.

Negativismo

O paciente executa o contrário do que lhe é ordenado ou do que é esperado; é a resistência a sugestões feitas por outras pessoas com reação oposta a sugerida ou desejada.

Neologismos

Neoformação de termos; palavras inventadas; criação de palavras novas.

Neurastenia

É o estado nervoso caracterizado por fadigas intensas; falta de energia, irritabilidade; forma de neurose na qual a pessoa sente fadiga excessiva ao menor esforço físico.

Neurite

Significa doença dos nervos de caráter inflamatório.

Neurolépticos

Medicamentos que atuam nos sintomas psicóticos.

Neuropatia

Termo geral usado para denominar doença ou comprometimento dos nervos em geral.

Neurose

Conflitos existentes na origem projetam-se no inconsciente e não encontram uma solução racional; distúrbio psicológico e emocional; é um transtorno da personalidade que se manifesta com reações inconscientes anormais diante de determinadas situações.

Neurose de angústia

Tipo de distúrbio emocional  caracterizado por ansiedade mórbida, as vezes são acompanhados por um pressentimento de iminente desgraça ou tragédia.

Neurose compulsiva

Tipo de neurose caracterizado por ações e pensamentos repetidos obsessivamente e que o paciente é incapaz de controlar e superar.

Neurose fóbica

É uma alteração mental que se manifesta com um medo desproporcional a certos objetos ou situações.

Neurose obsessiva

É uma alteração mental que se caracteriza pela insistência pertinaz num pensamento ou idéia.

Ninfomania

É uma insatisfação sexual da mulher a qual procura o prazer com mais de um homem.

Nosofobia

Medo mórbido de doenças.

Obnubilação mental

Redução das funções psíquicas como a percepção, atenção, orientação, raciocínio, capacidade de observação; dificuldade para formar e relacionar conceitos da realidade; incoerência das idéias.

Obsessões

Ações repetitivas sob impulso interno; obsessão de limpeza, de repetição, de controle; é a persistência patológica de uma idéia, emoção ou tendência irresistível; pensamento persistente, involuntário e recorrente.

Oligofrenia

É um estado patológico em que o indivíduo quer na vida prática, quer na vida intelectual é incapaz de resolver novas tarefas.

Omissões

No transtorno da linguagem verbal, parte das palavras ou frases truncadas quando o indivíduo fala, lê ou escreve.

Palilalia

Repetição se sons ou palavras.

Paralisia

Perda do poder motor atribuível a um transtorno funcional ou orgânico do mecanismo neuromuscular ou neural.

Paralisia cerebral

Grupo de transtornos cerebrais crônicos e  não progressivos, presentes já ao nascimento ou adquiridos, durante o período de desenvolvimento, caracterizados por alterações bilaterais da motricidade.

Paramimia

Manifestações que não se adaptam á situação.

Paramnésia

É constituída por falsas recordações.

Paranóia

É um delírio sistematizado, lógico, com base falsa; distúrbio mental caracterizado por delírio persecutório; o paciente distorce até o menor incidente tentando provar a verdade de suas ilusões.

Paranóide

Um termo descritivo que designa idéias dominantes mórbidas ou delírios de auto-referência relativas a um ou mais temas, sendo os mais comuns: perseguição, amor, ódio, inveja, honra, litígio, grandeza ou sobrenatural.

Paraplegia

Perda de movimento e sensibilidade nos membros inferiores.

Paratimia

Sentimentos que não se adaptam à situação.

Paresia

Paralisia leve.

Parestesia

Sensações cutâneas anormais de anestesia, formigamento ou queimação.

Pensamento elíptico

Relativo a uma vocalização na qual faltam uma ou mais partes principais, o que a torna incompreensível para quem ouve.

Perseveração

Repetição constante das mesmas palavras e temas; fixação de elementos psíquicos que sempre aparecem após breves pausas.

Pica

Insistência em comer substâncias não nutritivas (terra, lascas de madeira pintadas, etc). Isto pode ocorrer como um dos vários sintomas que fazem parte dos transtornos psiquiátricos conhecidos (como o autismo) ou relativamente isolado como um fenômeno psicopatológico. É mais comum em crianças com deficiência  mental. A pica deve ser diferenciada da voracidade bulímica que às vezes, ocorre no autismo infantil, na esquizofrenia e em alterações cerebrais como a demência.

Prolixidade

Insistência em citar detalhes, com que o mais importante da narração essencial ocupa lugar secundário.

Psicanálise

Método para descobrir as causas das doenças nervosas.

Psicologia

Ramo da biologia que estuda todos os aspectos do comportamento e da consciência.

Psicose

É o distúrbio da personalidade que leva a quebra com a realidade; comportamento inadequado e estranho não relacionado com as circunstâncias do mundo real e quase sempre fora do controle do paciente; distúrbio  mental mais grave no qual há um certo grau de desorganização da personalidade; o indivíduo perde a noção da realidade e seu comportamento se desorganiza passando a gravitar em torno de situações imaginárias.

Psicose ciclóide

Transtorno psicótico agudo caracterizado por um episódio relativamente curto (2 a 4 semanas) de excitação ou de inibição psicomotora, ou de ambos estados se sucedendo rapidamente. Desorganização  emocional, confusão e delírios transitórios freqüentemente acompanham o quadro.

Psicose maniaco -depressivo

Distúrbio mental caracterizado por alternância de fases de comportamento entre a euforia excessiva ou a depressão profunda

Psicose puerperal

Qualquer forma de estado psicótico que ocorre durante o  puerpério.

Psicosíndrome cerebral focal

Redução adquirida da inteligência.

Psicosíndrome orgânica

Alterações da memória, alterações da orientação, pobreza de raciocínio, perseveração, labilidade afetiva, incontinência afetiva

Psicoterapia

Forma de tratamento psiquiátrico que ajuda as pessoas a enfrentar seus problemas emocionais e mentais, pode ser individual ou em grupo; tratamento por meio psicológico.

Psicoterapia de casal

Os dois parceiros são atendidos ao mesmo tempo e o processo é focado mais nos problemas do relacionamento do que nos conflitos pessoais de cada um.

Psicoterapia familiar

Todos os membros da família são atendidos juntos. A partir da observação de como interagem entre si, o terapeuta esclarece as dificuldades que estão prejudicando as relações. Esta terapia visa melhorar a comunicação entre todos, diminuir os conflitos, definir mais claramente o papel de cada um e melhorar a qualidade afetiva.

Psicoterapia de grupo

Formado por seis a dez pessoas, o grupo se reúne semanalmente, por cerca de uma hora e meia. Um ou mais participantes falam sobre seus conflitos e os outros dão opiniões, sob a coordenação do terapeuta.

Psicoterapia cognitiva

Esta modalidade se baseia no princípio de que os problemas emocionais são causados por padrões de pensamento distorcidos que o paciente tem a respeito de si mesmo, dos outros e da realidade à sua volta. Por meio de técnicas verbais ensinadas pelo terapeuta, ele aprende a identificar e modificar esses pensamentos. É especialmente indicada para casos de fobias, transtorno de pânico, anorexia, bulimia e, em combinação com medicamentos, depressão e esquizofrenia.

Psicoterapia cognitivo-comportamental

Também chamada de terapia de exposição, é indicada para casos de fobias, transtornos de pânico e transtorno obsessivo compulsivo. Orientado pelo especialista, o paciente se expõe gradualmente às situações temidas. Essa exposição repetida , aliada a técnicas de controle da respiração e de relaxamento muscular, faz com que o medo e a ansiedade desapareçam.

Psiquiatria

Ramo da medicina que se dedica ao estudo e ao tratamento das doenças da mente humana, dos distúrbios do comportamento  e das emoções.

QI - Quociente de Inteligência

É um número derivado da relação entre a idade mental obtida por testes de inteligência e a idade verdadeira do indivíduo.A inteligência média está entre 90 e 110, na escala do QI. A deficiência mental fica abaixo desse nível.

Quebras afetivas

Sentimentos de medo ou felicidade, de intensidade exagerada, sem motivo especial.

Raciocínio acelerado

Evolução de idéia rapidamente com interrupções

Reação aguda ao stress associada ao HIV

Expressões  de desespero, raiva, culpa, retraimento e medo e o desenvolvimento de sintomas somáticos que o indivíduo considera como sinal de evidência de deterioração física devido à infecção por HIV . Estas reações são particularmente freqüentes e ocorrem imediatamente após a tomada de conhecimento da  soropositividade e simultaneamente com as alterações do estado clínico do doente.

Reação de luto

Resposta da pessoa enlutada à perda;  progride classicamente de uma fase inicial de choque e perplexidade, passando por uma preocupação excessiva com a pessoa falecida, até um período de resolução gradual.  São comuns desvios desta seqüência, e padrões mórbidos de luto podem constituir uma doença depressiva manifesta.

Reações psicogênicas

Particularidades psíquicas, transitórias e de curta duração que se relacionam com desajustamentos situacionais.

Redução da impulsão

Redução geral da atividade dirigida.

Retardamento psicomotor

Atividade diminuída, lentificada.

Rinolalia

É a voz anasalada em que o fenômeno da ressonância se faz indevidamente nas cavidades nasais.

Sadomasoquismo

Transtorno da preferência sexual (parafilia) no qual a atividade sexual preferida envolve a inflição de dor, humilhação ou servidão. Se o indivíduo prefere ser o objeto de tal estimulação, é chamado masoquismo, se é o executor, sadismo. Freqüentemente o indivíduo obtém excitação sexual de ambas as atividades, sádicas e masoquistas.

Sedativos

São medicamentos controlados que atuam como depressores do sistema nervoso central, são administrados para aliviar a ansiedade e induzir o sono. A dose varia com o estado fisiológico e psicológico do paciente. São drogas que com o uso contínuo podem causar dependência química. Alguns pacientes ficam viciados com a droga, e só se acalmam quando o medicamento é administrado.

Sinal de Babinski

O Sinal de Babinski é um sinal clínico neurológico de fácil constatação para detectar lesões especificamente na porção piramidal do sistema de controle motor, pois não ocorre quando a lesão é nas partes extrapiramidais do sistema de controle motor.  O sinal é demonstrado quando um firme estímulo tátil é aplicado à sola lateral do pé. O hálux se estende para cima, e os outros dedos se afastam entre si. A resposta normal seria: que todos os dedos se curvassem para baixo.

Sincinesias

Movimentos involuntários

Síncope

Perda súbita e passageira da consciência geralmente causada por uma redução do fluxo sanguíneo, decorrente de uma hipotensão.

Síndrome de Asperger

Transtorno de validade nosológica incerta que surge na infância, e é caracterizado pelo mesmo tipo de anormalidade qualitativa da interação social recíproca que caracteriza o autismo, junto com um  repertório restrito, estereotipado e repetitivo de interesses e atividades. Difere primariamente do autismo pelo fato de que não existe um retardo geral na linguagem ou no desenvolvimento cognitivo.

Síndrome de Binswanger

Forma rara de demência pré-senil associada a hipertensão e lesões isquêmicas  profundas da substância branca dos hemisférios cerebrais, na presença de um córtex intacto e de um aspecto de translucidez da substância branca à Tomografia Computadorizada.  Esta condição foi descrita por Binswanger em 1894.

Síndrome de dependência

Grupo de fenômenos comportamentais, cognitivos, e fisiológicos que podem desenvolver-se após uso repetido de  uma substância. Esses fenômenos incluem tipicamente um forte desejo de ingerir a droga, controle prejudicado sobre o seu uso, uso persistente a despeito das conseqüências danosas, prioridade ao uso da droga sobre outras atividades e obrigações, aumento da tolerância e reação física de privação quando o uso da droga é interrompido.

Síndrome de Estocolmo

Identificação com o agressor, por parte de suas vítimas, observada particularmente em indivíduos seqüestrados.

Síndrome da Fadiga Crônica (SFC)

Distúrbio que ocorre normalmente , em adultos jovens e principalmente em mulheres, caracterizado por fadiga extrema, que prejudica as atividades normais por, no mínimo 6 meses, e ausência de outras doenças conhecidas, que possam produzir sintomas semelhantes.

Síndrome de Ganser

Condição vista em pessoas acusadas ou encarceradas, que se manifesta por sintomas de confusão e dissociação. O exame do estado mental freqüentemente evidencia respostas apenas aproximadas à questões referentes a orientação, memória ou função cognitiva.

Síndrome de Korsakov

Notável perturbação da memória recente e remota, com preservação da memória imediata e redução da capacidade de aprendizagem de material inédito e desorientação temporal.  A confabulação pode ser uma característica acentuada, mas a percepção e outras funções cognitivas, incluindo as intelectuais, estão intactas, em geral. Sinonímia: Síndrome amnésica orgânica.

Síndrome de Landau-Kleffner

Transtorno no qual a criança que tem um desenvolvimento normal da linguagem, perde tanto as habilidades de recepção como de expressões verbais, mas mantém a inteligência intacta. O início do transtorno é acompanhado por alterações paroxísticas do EEG e na maioria dos casos, também por convulsões. Usualmente começa entre os 3 e 7 anos, com a perda das habilidades ocorrendo numa questão de dias ou semanas. A associação temporal entre o estabelecimento da perda da linguagem e os ataques epilépticos é variável, com um precedendo o outro (em qualquer ordem) de poucos meses até dois anos. As características clínicas sugerem o envolvimento  de um processo inflamatório do cérebro, como etiologia. Cerca de dois terços dos pacientes permanecem com um déficit receptivo da linguagem mais ou menos grave.

Síndrome de Lesch-Nyhan

Um transtorno neuromuscular grave com movimentos coreoatetóides involuntários, vômitos periódicos, deficiência mental de leve a grave, automutilação (mordedura dos lábios e pontas dos dedos) e uma artrite gotosa grave associada a níveis elevados de ácido úrico.  O metabolismo anormal da purina deve-se a uma deficiência genética da enzima hipoxantinaguaninafosforribosiltransferase, transmitida como um transtorno recessivo ligado ao cromossomo.

Síndrome de Rett

Uma condição até então relatada somente em meninas, na qual o desenvolvimento inicial, aparentemente normal, é seguido por perda parcial ou total da fala e das habilidades de locomoção e do uso das mãos, junto de uma desaceleração do crescimento do crânio, usualmente com início entre os 7 e 24 meses de idade. São características: perda dos movimentos propositais das mãos, estereotipias de aperto de mãos e hiperventilação.  O desenvolvimento social e lúdico é interrompido, porém o interesse social tende a ser mantido. Ataxia e apraxia do tronco começam a se desenvolver na idade de 4 anos e são seguidos freqüentemente por movimentos coreoatetóides. A deficiência mental grave  é  o resultado invariável.

Síndrome de tensão pré-menstrual

Grupo de sintomas físicos e psíquicos múltiplos que, em combinações variáveis, ocorrem caracteristicamente em mulheres na segunda fase do ciclo menstrual (fase luteal) e declina durante os primeiros 11-12 dias do ciclo. Os sintomas mais comuns são: tensão, irritabilidade, depressão, dor nos seios, retenção de líquidos e lombalgias.  A relação entre a perturbação mental e alterações hormonais nessa síndrome permanece obscura.  Sinonímia: Tensão pré-menstrual ( TPM ).

Sonambulismo

Estado de consciência  alterada no qual se combinam fenômenos do sono e da vigília.

Sono REM ou paradoxaloxal

Períodos de sono, com duração média de cinco minutos, que ocorrem em adultos, mais ou menos a cada noventa minutos e durante o qual os movimentos oculares rápidos (REM) podem ser registrados através de eletrooculografia. Períodos de sono REM (ou paradoxal) são quase totalmente ocupados por sonhos vívidos e acompanhados por uma variedade de mudanças fisiológicas na freqüência cardíaca, na freqüência respiratória, no tônus muscular e no fluxo sanguíneo cerebral.

Taquifemia

Aceleração da fala com ruptura da fluência (porém sem repetições ou hesitações) a ponto de provocar uma redução da inteligibilidade. A fala é errática e disrítmica, com arrancos rápidos e abruptos que usualmente envolvem padrões defeituosos de frases.

Taquilalia

Falar rápido.

Tetraplegia

Perda de movimentos e sensibilidades nos membros inferiores e superiores.

Tiques

Movimentos rápidos automáticos, repetidos e involuntários.

Tranquilizantes

São drogas que atuam em todas as partes do cérebro, principalmente nas regiões subcorticais, de maneira a provocar relaxamento mental e calma emocional. Os tranqüilizantes atuam em níveis subcorticais diferentes, têm propriedades farmacológicas diferentes e graus variáveis de utilidade clínicos. Os tranqüilizantes sintéticos causam secura da boca, problemas visuais, constipação e taquicardia.

Transtornos

Emoções patogênicas.

Transtorno dissociativo

Uma perda completa ou parcial da integração normal entre lembranças do passado, auto-orientação, sensopercepção e controle dos movimentos corporais. Os transtornos dissociativos tendem a desaparecer após poucas semanas ou meses, particularmente se seu início estiver associado com um evento de vida traumático.

Transtorno esquizóide da personalidade

Caracterizado por retração do contato afetivo, social e outros contatos, com preferência por fantasias, atividades solitárias e introspecção, acompanhados por uma incapacidade para expressar sentimentos e experimentar prazer.

Transtorno hipercinético

Transtorno caracterizado pelo início precoce (habitualmente nos primeiros 5 anos de vida) de falta de persistência em atividades que requerem o envolvimento de processos cognitivos e tendência a mudar de uma atividade para outra sem completar nenhuma delas, juntamente com um padrão geral de atividades desorganizado, mal regulado e excessivo. É um tipo de transtorno que pode acompanhar-se de várias outras alterações.

Transtorno do humor

A perturbação fundamental é um deslocamento do humor ou do afeto seja para o pólo da depressão (com ou sem ansiedade associada) seja para o pólo da exaltação.

Transtornos da linguagem

Distúrbios na pronúncia de sílabas.

Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)

Transtorno psiquiátrico descrito como uma condição crônica e heterogênea caracterizada por cognições perturbadoras súbitas e recorrentes, que invadem a consciência (obsessões) e ações governadas por padrões que o indivíduo sente-se compelido a realizar (compulsões); pensamentos obsessivos recorrentes ou atos compulsivos recorrentes. Pensamentos obsessivos são idéias, imagens ou impulsos que entram repetidamente na mente do indivíduo de forma estereotipada.

Transtorno paranóide da personalidade

Transtorno caracterizado por sensibilidade excessiva à frustração, desconfiança, tendência a distorcer experiências através da interpretação errônea de ações neutras ou amigáveis dos outros como hostis ou desrespeitosas, e um senso combativo e tenaz de direitos pessoais.

Transtorno da psicomotricidade

Qualquer transtorno caracterizado por anomalias  da movimentação. Essas anomalias incluem acinesia e as várias formas de discinesia.

Tricotilomania

Um dos transtornos de hábitos e impulsos, caracterizado por perda visível de cabelos devido ao arrancar impulsivo de pelos, que não é uma resposta nem a delírios nem a alucinações. O arrancar dos cabelos é geralmente precedido por um aumento de tensão e, é seguido por uma sensação de alívio ou gratificação.

Tristeza patológica

Transtorno da afetividade; diminuição da auto-estima; o sujeito se sente abatido e triste, sem interesse pela vida e pelos que o rodeiam acompanha sentimentos de culpa.

Variações da impulsão

Variações que com a quebra do controle voluntário e da vontade própria são dirigidas por forte afetação.

Verbigeração

Repetição mecânica persistente das mesmas palavras, expressões ou trechos de frases quase sempre em tom de discurso.

Vertigem

Caracteriza-se por uma sensação rotatória na qual a pessoa sente que as coisas estão girando a sua volta, podendo ser acompanhada de náusea e vômito.

Zoopsia

Uma forma de alucinação em que o doente vê animais como insetos, cobras, cachorros. Acompanha usualmente psicoses associadas a condições orgânicas agudas, tais como delirium tremens, mas pode também ocorrer como parte de um transe religioso ou de uma visão.

 

 

Calendário de Eventos

Setembro

01.09 - Dia do Profissional de Educação Física.
03.09 - Dia do Biólogo
05.09 - Dia Nacional de Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística
05.09 - Dia do Oficial de Farmácia
08.09 - Dia Nacional de Luta por Medicamento
08.09 - Dia Mundial da Raiva
09.09 - Dia do Veterinário
10.09 - Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio
21.09 - Dia Nacional de Luta da Pessoa Portadora de Deficiência.
27.09 - Dia Nacional da Doação de Órgãos
29.09 - Dia Mundial do Coração

Precisamos Saber

Que Tempo Levo Para Ejacular
 
 
Encontre um profissional no seu estado

 


Pensamento do Dia

O génio é composto por 2% de talento e de 98% de perseverante aplicação. (Ludwing Van Beethoven)

Psicopatas. Eles estão entre nós

Artigos de vários Terapeutas

                                                                  Kristina Randle
Dra.Kristina Randle, Ph.D., LCSW é psicoterapeuta licenciado e Professor Assistente de Serviço Social e Forense, com vasta experiência no campo da saúde mental.
Marie Hartwell-Walker, Ed.D.
Dr. Marie Hartwell-Walker é licenciado em Massachusetts tanto como um psicólogo e casamento e terapeuta de família e tem sido, na prática há mais de 30 anos.
Holly Counts, PsyD
Dra.Holly Counts, Psy.D. é um psicóloga clínico licenciado em Ohio. Ela utiliza uma abordagem mente, corpo e espírito para a cura.
Daniel J. Tomasulo
Dr.Daniel J. Tomasulo, Ph.D., TEP, MFA é um psicólogo, treinador psicodrama e escritor sobre corpo docente da Universidade de Nova Jersey City

Dr. Fernando Weikamp -Neuropsicanalista - Psicanalista Clinico - CBP/SP nº 00439 Faculdades Médicas de Psicoterapia Unidas FAMEHP -São Paulo,- Diplomado em psicologia pela Universidade do Arizona em Master of Psychology and Medicine -Membro ABENEPI -Associação Brasileira de Neurologia,Psiquiatria Infantil -Membro da Sociedade Brasileira de Psicologia -Membro da Associação Brasileira de Medicina Complementar -Membro da Associação Brasileira de Psicoterapia e Medicina Comportamental

 

 

Informação

 

 

Atenção Internautas

 O Consultorio da Mente alerta aos internautas que estão sendo enviadas mensagens eletrônicas em nome do Consultorio da Mente. As falsas mensagens informam que o usuário tem algum tipo de divida . Depois há um pedido para "clicar" em um link anexado a mensagem.

O Consultório da Mente não envia mensagens eletrônicas sobre cobranças . Somente entra em contato via e-mail com usuários que utilizaram os canais apropriados no site.

Portanto, ao receber a mensagem suspeita, orientamos que ela seja encaminhada para o endereço crime.internet@dpf.gov.br e, logo em seguida, apagada.

 

 

Nós temos 24 visitantes online